Clube Audio TT
Hoje é 
 Índice :

 ▶ Entrada

 ▶ O Clube

 ▶ Os Nossos Passeios

 ▶ Fottos

 ▶ Outros

 ▶ Novidades

 ▶ Links dos Sites Amigos

 ▶ Apoios

 ▶ Contactos


Site Meter

Número de pessoas que visitaram esta página !


Clube Audio TT

Todos os direitos reservados

2002 / ....


Esta página foi

actualizada em

26-Set-2008

            Os Nossos Passeios ...

5º Passeio de 2008...

 

 12º Passeio do Clube Audio TT pela "Serra da Cabreira"

 

5º Passeio do Clube Audio TT de 2008

 

      Com o início do período de férias já a decorrer,  é a altura para a realização do Passeio pela Serra da Cabreira. Este Passeio é o ex-líbris do Clube Audio TT e já se realizou por 12 vezes, tantas quantos os anos deste grupo de amigos.

      Este ano, foi possível reunir 16 jipes, incluindo 2 que tiveram por função o transporte de pessoas e “tralha” para o local do almoço, e perto de 40 pessoas, incluindo as crianças.  Havendo já quem esteja de férias, foi muita gente a participar !

  

  

      O encontro para o início do Passeio estava marcado para o paredão da Barragem da Venda Nova e à hora marcada lá se foram reunindo as viaturas e respectivas tripulações para dar início à 1ª etapa.

      A proposta era percorrer uns trilhos até à Borralha e daí até Caniçó e ao Parque de Merendas do Carvalhal do Esporão, onde seria instalada a “base logística” para os comes e bebes, começando logo pelo “Reforço da Manhã”, seguido do almoço e mais tarde do lanche/jantar.

  

  

      A primeira parte, até à Borralha, permitiu-nos percorrer um conjunto de trilhos que nos eram desconhecidos e que merecem uma nota especial pelas vistas sobre a região e em especial sobre a zona da barragem da Venda Nova, e por uma descida bastante “trialeira”, com um conjunto de “degraus naturais”, em pedra, que obrigavam a que viaturas e condutores mostrassem as suas capacidades. Escusado será dizer que toda a gente ultrapassou a “dificuldade” sem problemas especiais, embora várias viaturas ainda tenham raspado um bocado por baixo e deixado algumas pedras um bocadinho mais polidas...

      Da Borralha até ao Parque de Merendas, os trilhos e caminhos não apresentavam dificuldades de nota, havendo inclusivamente uma parte feita em asfalto.

      Como já foi dito, o “Reforço da Manhã” realizou-se no mesmo sítio onde iria decorrer o almoço e o lanche/jantar e logo à chegada tivemos a surpresa de ver o Parque de Merendas parcialmente ocupado por um grupo de pessoas que tinham ido fazer um convívio.  O grupo era razoavelmente grande ( deslocou-se num autocarro de 2 andares ) e prometia muita animação a julgar pelas 2 arcas congeladoras, grandes, que tinham levado, bem assim como o moto-gerador para as alimentar em energia !

  

  

      Estávamos nós a chegar para o “Reforço da Manhã” e já eles estavam a tratar das brasas para os grelhados que iriam fazer...

      A segunda surpresa veio do facto de que, apesar de estar sol, a temperatura ser muito baixa para a época, com a agravante de correr um vento frio que desaconselhava de todo a permanência à sombra...

      Depois de ter os estômagos mais aconchegados com o pão, queijo e fiambre habituais, bem assim como os sumos e o café, que desta vez se desdobrou em duas qualidades ( o café propriamente dito e o “café” como passou a ser conhecido desde o Passeio no Nordeste Transmontano  o  Moscatel de Alijó ), foi iniciada a 2ª etapa.

  

  

      O percurso começava logo “em grande”, uma vez que logo após 2 ou 3 Km's se entrava numa zona com piso bastante duro e relativamente estreita, com um muro em pedra do lado direito e um talude de terra e pedra do lado esquerdo, o que levou a que uma parte das viaturas acabassem por subir o talude e fazer o percurso com os jipes em inclinação lateral.

      Logo depois, havia que fazer uma travessia de um ribeiro a vau.  É claro que a zona escolhida para atravessar não foi exactamente a mais fácil...  Esta gente aproveita sempre para escolher o caminho “mais interessante” !...

  

  

      Daí para a frente havia que seguir um conjunto de trilhos até Talefe e daí até próximo da Antenas, antes de começar a descer mais ou menos em direcção a Agra.  Contudo, havia um corta-fogo “manhoso” e tinha logo que haver quem resolvesse “inventar” e tentar subi-lo....   ;-)    O resultado traduziu-se por um jipe atascado a meio da subida e muita discussão sobre a forma de o retirar dali....  

      Depois de um bom bocado a estudar e a tentar formas de retirar o jipe, este acabou por sair com a ajuda do guincho, que tinha montado, preso a uma pedra que demonstrou estar suficientemente presa para suportar o esforço...  Antes já tinha sido experimentada outra, mas o resultado tinha sido um bocadinho diferente do que se pretendia:  Não tinha sido a jipe a aproximar-se da pedra, mas antes esta a vir ter com o jipe....    ;-)

  

  

      Bem, como já se está mesmo a ver, o tempo passou e estava mais do que na hora de ir almoçar, pelo que se decidiu não fazer o restante percurso previsto e regressar da forma mais rápida ao Parque de Merendas.

      A preparação do Almoço, que já estava em curso, com as brasas feitas, a primeira rodada de sardinhas e de fêveras e entrecosto assadas, as saladas preparadas, etc. e que foi continuada com a preciosa ajuda de vários dos participantes, decorreu da melhor forma.

  

  

    A ementa parece que agradou a todos e as coisas preparadas assim até parece que têm outro sabor  ( melhor ! ). Para complementar as sardinhas, fêveras e entrecosto, havia igualmente salsichas assadas na brasa, boroa, saladas diversas, azeitonas, tremoços, batata frita, etc...  Para sobremesa, tivemos melão, uvas, tarte de maçã e tarte de noz.  É claro que isto tinha que ser devidamente “regado” e para além dos sumos, água, coca-cola, seven-up e cerveja, não faltaram os vinhos verde tinto, Alvarinho e maduros, branco e tinto, do Alentejo. Para o fim ficava o café, a aguardente velha e o moscatel de Alijó.

      Estava chegada a altura de ir dar mais uma voltinha...   A escolha recaiu no percurso da 2ª etapa e que não tinha sido realizado, por ter sido interrompida pelo “atascanço” no tal corta-fogo, mas agora feito em sentido inverso.

  

  

      Lá se foram percorrendo os trilhos, uma parte deles já nossos conhecidos de outros Passeios, e que iam alternando bocados de estradão com outros em que o piso se revelava já bastante duro e, nalguns casos, um pouco mais “trialeiro”.  Ainda que em muitas ocasiões devagar, lá se foi fazendo o percurso sem nada que justifique uma nota especial.

       A Serra da Cabreira é um dos sítios onde é sempre agradável andar a passear e desta vez, fruto do tempo que se tem feito sentir, estava ainda muito “verde”, o que a torna ainda mais bonita.  

  

  

      A parte “quente” deste percurso estava guardada para um trilho em muito mau estado, que tinha sido feito a descer durante os reconhecimentos e que agora, fruto de estarmos a fazer o percurso em sentido contrário, teria de ser feito a subir, dificultando ainda mais as coisas. Na verdade, eu, que tinha feito os reconhecimentos, nem tinha a certeza de que se conseguisse subir....  

      Na verdade, a primeira reacção das pessoas ao chegarem ao início do trilho foi de dúvida...   Era mesmo para ir por ali ?!?

  

  

         Contudo, passada esta primeira hesitação, lá foram começando a trepar, uns com um pouco mais de dificuldade do que outros, mas toda a gente a conseguir ultrapassar a zona mais crítica.  A excepção aconteceu com o Frontera, cujo condutor, depois de ver outros jipes “aos saltos” para conseguirem ultrapassar uma vala funda, resolveu tentar evitar essa mesma vala...  Resultado:  o jipe escorregou um pouco e acabou por ficar sem possibilidade de sair pelos seus próprios meios, ao mesmo tempo que apresentava uma inclinação lateral que cria sempre um certo “desconforto”...

      Com a ajuda de dois outros jipes e de guincho, lá se retirou o Frontera daquela posição menos agradável e foi possível continuar sem mais percalços e sem estragos.

  

  

         Merece aqui uma referência especial o comportamento de um Land Rover Discovery e do seu condutor, que apesar de ser a primeira vez que estavam a participar num Passeio TT e de, para além disso,  o jipe estar com alguns problemas na suspensão traseira, terem conseguido ultrapassar sem ajuda esta zona realmente um bocado complicada.  Eu fui um dos que recomendaram que talvez fosse melhor  arranjar uma alternativa e não tentar subir por aquele trilho, mas mostraram-me que eu estava enganado e que conseguiam realmente ultrapassar aquela “trialeira” !....

      Nestas coisas, o tempo passa sempre depressa e estava na hora de regressar para o lanche/jantar.

  

  

      O lanche/jantar foi um pouco a continuação do almoço e só não se prolongou mais porque, com o sol já escondido, começou a ficar verdadeiramente frio !  Parece impossível como em Julho, num dia em que esteve sol, fica assim frio !

      O balanço global, a julgar pelos comentários dos participantes, é claramente positivo.  Foi mais um Sábado bem passado, entre amigos, e a fazer todo-terreno como todos gostamos.

      O encontro para a 13ª edição deste Passeio já ficou marcado !....

  

 

Nota final:  Quero deixar aqui expresso o meu elogio ao tal outro grupo de amigos que utilizaram o Parque de Merendas e que tiveram a preocupação de limpar meticulosamente a zona onde estiveram, apanhando todo o lixo que tinham feito ( como é normal acontecer ) e mesmo algum que já lá estaria...

É claro que esta é a atitude certa e que deve ser a atitude normal, mas como, infelizmente, há muitos casos em que assim não acontece, acho que merece ser realçada e elogiada !

 


Rui Martins

Clube Audio TT

 

  Página dos Passeios       

 

O verdadeiro TT pratica-se com respeito pela Natureza !

         

Entrada ┃ O Clube  ┃ Os Nossos Passeios ┃ Fottos ┃ Outros ┃ Novidades ┃ Links ┃ Apoios ┃ Contactos